6º Prêmio de Jornalismo

ADPERGS entrega 6º prêmio de Jornalismo para profissionais de imprensa e universitários

Foi promovida na sexta-feira (13/12), a Solenidade de Premiação do 6º Prêmio ADPERGS de Jornalismo, na sede da Associação (Rua General Andrade de Neves, 90, sala 81/82), às 19h. Com a temática “Em Defesa Delas: Defensoras e Defensores Públicos pela garantia dos direitos das mulheres”, foram premiados profissionais de imprensa nas categorias impresso, rádio, TV e universitário.

Defensoras e Defensores Públicos, representantes de entidades parceiras e jornalistas prestigiaram a cerimônia, que revelou a classificação dos finalistas nas quatro categorias do concurso. As premiações foram entregues por membros da diretoria da entidade e comissão julgadora.

A temática, lançada pela ANADEP - Associação Nacional das Defensoras e dos Defensores Públicos, abordou o papel da Instituição na garantia do acesso à Justiça para aquelas que se encontram em situações de vulnerabilidades, assim como a atuação de Defensoras e Defensores Públicos na promoção dos direitos das mulheres.
Presidente da ADPERGS inicia premiação. Foto: Sidnei Schirmer.
Após premiação, a presidente da Associação, Juliana Lavigne, disse ser uma grande alegria estar entregando e resgatando o Prêmio ADPERGS de Jornalismo, e informou, a todas e todos presentes, que ano que vem haverá outra edição da premiação, no mote da Campanha Nacional da ANADEP de 2020: “Questões étnico-raciais”

Confira os premiados:

Suzy Scarton recebe o prêmio pela presidente da ADPERGS, Juliana Lavigne, e o pelo Subdefensor Público-Geral para Assuntos Administrativos, Antonio Flávio de Oliveira. Foto: Sidnei Schirmer.

1º lugar categoria impresso:

Suzy Resende Scarton
Matéria: “Entidades são contra colocar DIU em meninas acolhidas”

A Defensoria Pública da União (DPU) ajuizou, em conjunto com a Defensoria Pública do Estado (DPE) e a Thêmis - Gênero, Justiça e Direitos Humanos, uma ação civil pública pedindo a suspensão imediata do termo de cooperação, assinado em julho, que disponibiliza a implantação do SIU-LNG, conhecido como DIU Mirena (dispositivo anticoncepcional liberador de levonorgestrel) em adolescentes em situação de acolhimento institucional.

Confira a matéria completa aqui: https://bit.ly/36F9iYR

Isabella Sander, do Jornal do Comércio, fica em segundo lugar na categoria Impresso. Foto: Sidnei Schirmer.

2º lugar categoria impresso:

Isabella Sander
Matéria: Justiça suspende despejo das mulheres Mirabal”

A 5ª Vara da Fazenda Pública suspendeu nesta semana liminar que permitia a reintegração de posse do prédio onde funciona a Casa de Referência Mulheres Mirabal. O espaço realiza acolhimento de mulheres vítimas de violência e seus filhos. A decisão se deu após sete meses de reuniões entre Mirabal, Estado, município, Ministério Público e Defensoria Pública.

Confira a matéria completa aqui: https://bit.ly/2r1ZZTV

Legenda: Diretora de Interior da ADPERGS, Maína Pech, e a presidente do SINDJORS, Vera Daisy Barcellos Costa, entregam primeiro lugar de Rádio ao jornalista Cid Martins. Foto: Sidnei Schirmer.

1º lugar categoria rádio:

Cid Martins
Matéria: “Defensoria Pública do Rio Grande do Sul garante assistência às mulheres vítimas de violências”

Reportagem mostra dados e atendimento multidisciplinar de rede integrada para atender mulheres vítimas de violência. Trabalho em especial da Defensoria Pública.

Confira a matéria completa aqui: https://bit.ly/2M4yeBo

Legenda: Cid Martins recebe o prêmio da colega Camila Faraco. Foto: Sidnei Schirmer.

1º lugar categoria TV:

Camila Faraco
Matéria: “Vítimas de agressão relatam falta de acolhimento em delegacias do RS”

Mulheres reclamam do constrangimento para registrar ocorrências em delegacias de Pronto Atendimento do Estado. Elas não o chamado Espaço Lilás, isolado e com plantonista mulher para atender. As vítimas acabam procurando as DDPAS à noite ou nos fins de semana quando as delegacias da mulher estão fechadas. Na capital, a Defensoria Pública está pedindo a interdição da segunda DDPA por causa do contato das vítimas com os agressores.

Confira a matéria completa aqui: https://bit.ly/34sXF5V

Legenda: Os estudantes da PUCRS Irto Júnior, João Vargas, Luísa de Oliveira e Martin Moura levaram o primeiro lugar na categoria Universitária. Foto: Sidnei Schirmer.

1° lugar categoria Universitário:

Irto Júnior, João Vargas, Luísa de Oliveira e Martin Moura.
Matéria: “A gente não é mãe aqui dentro”

Entre a revolta com as condições do local e a esperança de dupla liberdade: como vivem as mães na Unidade Materno-Infantil no Pelletier. Em entrevista à reportagem, Andréia Paz Rodrigues, Defensora Pública da 5ª Defensoria Pública Especializada em Infância e Juventude do Foro Central de Porto Alegre.

Confira a matéria completa aqui: https://bit.ly/2sAgHKm

Legenda: Segundo lugar da categoria Universitária ficou com o estudante Vinícius Domingues. Foto: Sidnei Schirmer.

2° lugar categoria Universitário:

Vinícius Domingues
Matéria “Violência contra a mulher teve 61 mil casos registrados no Rio Grande do Sul em 2018”

Dezesseis milhões de mulheres sofreram algum tipo de violência nos 12 meses que antecederam a pesquisa “Visível e Invisível — A vitimização das mulheres no Brasil”, publicada em fevereiro de 2019. O estudo é uma realização do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e Datafolha, com patrocínio do Governo Federal. O Defensor Público, Eduardo Pereira, que atua desde 2017 na cidade, relata que os processos de violência contra a mulher são muitos, mas diversas vítimas não tem conhecimento dos serviços prestados, que são garantidos conforme o artigo 28, da Lei Maria da Penha, sancionada em 2006.

Confira a matéria completa aqui: https://bit.ly/36NWIqx

Gabriela Porto Alegre recebe terceiro lugar na categoria Universitária. Foto: Sidnei Schirmer.

3° lugar categoria Universitário:

Gabriela Porto Alegre dos Santos
Matéria: “Vítimas de violência doméstica podem ter prioridade do divórcio”

Com o objetivo de proteger vítimas de violência doméstica de seus agressores e interromper o círculo vicioso da violência contra a mulher, um projeto de lei foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. O PL 510/2019, que assegura a prioridade nos processos de separação ou divórcio à mulher vítima de violência doméstica, foi acolhido no dia 7 de agosto, data em que a Lei Maria da Penha completou 13 anos. O projeto aguarda ainda votação no Plenário em regime de urgência, mas ainda sem data definida.

Confira a matéria completa aqui: https://bit.ly/2sDLW7y

Confira todas as fotos da solenidade aqui: https://bit.ly/34wctk4

Rua General Andrade Neves, 90, Sala 81
Centro – CEP 90010-210
Porto Alegre – RS
Tel.: (51) 3224-6282
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
www.adpergs.org.br